Home  |   Eventos  |   Notícias  |   Novidades  |   Pragas e Doenças  |   Receitas  |   Tempo  |   Custo de Produção  

  Meio Ambiente  |   Utilinks  |   Planejamento  |   Prêmios  |   Contate-nos  
Soja
Soja
  Home
  Soja
  Custos de Produção
  Inimigos naturais
  Baculovirus
  Pragas da soja
  Bicudo da soja
  Broca das axilas
  Percevejos
  Lagartas
  Doenças da soja
  Antracnose
  Cancro da haste
  Oidio
  Míldio
Antracnose

Antracnose

 

 

(Colletotrichum dematium var. truncata (Schw.) Andrus & Moore)

 

 

É uma doença de ocorrência generalizada nas lavouras de São Paulo, Minas Gerais e Sul do Brasil. De um modo geral ainda não tem apresentado prejuízos muito sérios, embora sua incidência se intensifique em lavouras de várzeas com alta umidade, em plantios muito densos ou em caso da soja madura ficar no campo por causa de chuvas. Em tais condições notam-se plantas amareladas no meio do stand o que é referido como "mosqueado".

 

Sintomas

 

As plantas podem ser infectadas em todos os estágios de desenvolvimento. Quando o fungo é transmitido pela semente notam-se os primeiros sintomas logo na germinação. Muitas sementes apodrecem antes da emergência. Nas plantinhas que emergem aparecem lesões necróticas de cor cinza a negra, deprimidas, nos cotilédones, podendo causar a morte das plantas.

Em plantas maiores as lesões aparecem no caule, ramos e vagens, iniciando-se com pontuações avermelhadas que vão aumentando e causam o estrangulamento das partes afetadas.

Na face inferior podem ser encontradas nervuras necrosadas de coloração negra. Nas vagens aparecem lesões de forma indefinida e de coloração castanho-escura, recobertas de acérvulos, cujas numerosas setas de cor negra facilitam a identificação da doença. Vagens atacadas no inicio de sua formação podem não produzir sementes e em casos de maior maturação a qualidade das sementes é afetada.

 

Etiologia

 

O fungo sobrevive em restos de cultura e sobre ou no interior das sementes. A maior via de disseminação do patógeno é por meio de sementes afetadas. As frutificações que aparecem principalmente em campos com alta umidade relativa auxiliam na disseminação do fungo. A doença só assume caráter sério em plantios onde o microclima favoreça seu desenvolvimento (densidade populacional alta, alta umidade relativa, sombreamento, presença de insetos sugadores).

 

Controle

 

Evitar a transmissão da doença através de sementes infectadas, maior veículo de disseminação. Usar tratamento químico nas sementes ou plantar sementes sadias. Fazer enterrio profundo dos restos de culturas. Controlar as populações de insetos sugadores na cultura.

  Home  |   Eventos  |   Notícias  |   Novidades  |   Pragas e Doenças  |   Receitas  |   Tempo  |   Custo de Produção  

  Meio Ambiente  |   Utilinks  |   Planejamento  |   Prêmios  |   Contate-nos  



Web Master responsável - Pud@san
pudasan@agrobyte.com.br