FORMAÇÃO E MANEJO DE PASTAGENS

 

CONDIÇÕES DE PLANTIO

 

Plantio em Condições Ideais

 

Plantio em Condições médias

 

Plantio em condições adversas

 

Fatores Que Influem na Germinação

 

Qual a plantadeira ideal

 

Materiais inertes usados no plantio

 

Pode ser usado:                                                                  

Não pode ser usado                                                               Exemplo de uma mistura

Densidade de Plantio - Brachiaria Brizantha - VC 40%  - A recomendação para um plantio com plantadeira e rolo compacatador é de 240 pontos de VC/ha.

 

Kg/ha = 240/VC = kg/ha --- 240/40 = 6 kg/ha

 

CONSORCIAÇÃO

Plantio de uma ou mais leguminosas, juntamente com a gramínea. Na seca a gramínea perde o teor de proteína e resta praticamente fibra (bucha) o que não engorda e é de baixa digestibilidade.

A leguminosa é rica em proteína e boa palatabilidade na seca.A ingestão de leguminosa na seca aumenta a atividade do rúmem do animal, levando-o a consumir mais massa.

VANTAGENS - Melhor dieta na seca, melhor idade de abate, maior fertilidade das fêmeas, menor mortalidade na estação da seca, melhor suprimento de N, restauração do solo, valor nutritivo do alimento, fecha melhor o terreno evitando plantas daninhas.

QUANDO COLOCAR O GADO?

 

O Manejo pode ser  considerado como sendo a ciência e a arte, voltadas para utilização racional das pastagens.

Princípios Básicos Do Manejo - Fotossíntese - É o processo pelo qual a planta converte a energia solar em substancias alimentares que são usadas por ela  própria e pelos animais.Após o pastejo ou o corte,normalmente, verificam-se interrupção no processo de armazenamento e também redução no nível de substancias armazenadas , as quais são usadas para promover a rebrota da planta pastejada , ou cotada.

se o pastejo ou corte for muito drástico a planta pode morrer.A produção e sobrevivência das plantas forrageiras dependem basicamente dos seguintes fatores:

Síntese e armazenamento de alimentos, renovação das partes vegetativas, reprodução e capacidade de manter um sistema radicular sadio e vigoroso.

PASTEJO X SISTEMA RADICULAR- o Pastejo intenso pode reduzir a massa radicular, resultando num sistema radicular superficial que vai expor a planta a condições adversas e rebrota lenta. Estudos mostram que até 4 dias após pastejo o sistema radicular paralisa o seu crescimento.

PASTEJO X PRODUÇÃO DE FORRAGEM - A freqüência,a intensidade e a época do corte influenciam a qualidade e a quantidade de forragem produzida.

MORFOLOGIA DAS PLANTAS FORRAGEIRAS - Tecido meristemático, gema de crescimento, labareda de crescimento.

Quando o tecido de crescimento (gema) é eliminado, a planta paralisa seu crescimento para estimular as gemas secundárias a produzirem perfilhos.

O ponto de crescimento é que determina a altura do corte que a planta deverá ser manejada.

 

 

Forragem Entrada De Animal Saída De Animal Descanso Médio
B.Decumbens 60 cm 30 cm 40 dias
B.Brizantha 80 cm 40/50 cm 40 dias
B.Humidicola 40 cm 20 cm 40 dias
Colonião C. Branca 80 cm 40 cm 60 dias
Tobiatã 80 cm 40/50 cm 65 dias
Tanzania 80 cm 30/40 cm 45 dias
Setária 60 cm 20 cm 40 dias
Centenário 80 cm 30/40 cm 55 dias
Andropogon  90 cm 40/50 cm 40 dias

 

 

CAUSAS DA DEGRADAÇÃO DAS PASTAGENS - Uso do solo inadequadamente, uso de forrageira inadequada, falta de medidas conservacionistas, super pastejo esgotando as plantas, reduzindo a rebrota,diminuindo a produção de sementes e a cobertura do solo, não adubação de reposição, compactação, erosão, queimadas, pragas e plantas invasoras.

 

 

PLANTAS TÓXICAS - Sob o ponto de vista do criador, é aquela que ingerida pelo animal sob condições naturais e em quantidades pequenas, causa dano a saúde ou cauda a morte dos animais. A ingestão de plantas tóxicas é a terceira causa de morte dos bovinos, atrás da raiva e do botulismo.

PRINCIPAIS PLANTAS TÓXICAS - Palicourea marc gravil. - Erva de rato da mata, Erva de rato verdadeira, café bravo, Timbo( SP ) Erva de gado ( MG ), Cafezinho.

Encontra-se em todo território nacional, principalmente em locais sombreados, capoeiras e pastos recém formados.

As folhas e as sementes são tóxicas, possui boa palatabilidade para os bovinos.

Sintomas - perda de equilíbrio, tremores musculares, morte rápida.

Dose Letal. - 0,65 a 0,75 gramas/kg/peso vivo.

Arrabídaea bilabiata - Gibata ou Chibata, segunda planta mais tóxica da amazônia.

Dose Letal -  2,5 a 15 gramas/kg/peso vivo. Os sintomas surgem em  24 horas

Cestrum laevigatum - Coerana , coerana branca, bauna, esperto, dama da noite, pimenteira, maria preta, olho de pomba.

Encontra-se em todos os estados da região Sudeste.A intoxicação é aguda quando os animais consomem entre 10 a 40 gramas/kg/peso vivo , num prazo de 24 horas.

O animal perde o apetite, para de ruminar, apresenta prisão de ventre, fezes com sangue, andar cambaleante e tremores musculares.

Pteridum aquilinum -Samambaia ou Samambaia do campo. Encontra-se em todo o Brasil, é tida como planta invasora.

Possui efeito acumulativo, se o animal  ingerir 10 gramas/kg/peso vivo em 30 a 60 dias os sintomas surgirão. Pode provocar sangue na urina, febre, diarréia fétida, anemia e a morte.

 

 

 

CARACTERÍSTICA DAS PRINCIPAIS FORRAGEIRAS

 

 

 

BRACHIARIA DECUMBENS -

 

Nome Científico - Braaachiaria Decumbens Stapf   

Cultivar - Basilisk

Adapta-se a solos médios e  fracos, altitude até 2000 metros, com preciptação acima de 1000 mm ano.

Resistência

seca frio umidade cigarrinha sombreamento
alta médio baixa baixa boa

 

Consorcia-se razoavelmente com Calopogônio, Guandu e Leucena.

Plantio - plantadeira,semeadeira e rolo compactador em linha - 240 pontos de VC/ha.

Esparramadeira de Calcário, rolo compactador/grade e manual - 320/480 pontos de VC/ha

Avião - 320/480 pontos de VC/ha

Profundidade de plantio de até 2 cm

Tempo de formação - 90 a 120 dias

Produção de MV/ha - 45 toneladas - MS/ha/ano - 9 a 11 toneladas

Proteína Bruta na MS - 7 a 9%

Palatabilidade - Boa

 

 

 

BRACHIARIA BRIZANTHA - BRACHIARÃO - BRIZANTHÃO

 

Nome Científico - Brachiaria Brizantha

Origem - Zimbábue - África

Cultivar - Marandu

Forma de crescimento - Touceira  - Altitude até 2000 m, precipitação acima de 700 mm/ano

Adapta-se a solos de média a alta fertilidade.

Resistência

seca frio sombreamento umidade cigarrinha
boa boa boa baixa alta

 

É indicada para pastoreio e  feno , consorcia-se bem com o Calapogonio, Soja Perene, Leucena e Stylosantes .

Plantio - plantadeira, semeadeira e rolo compactador ( em linha ) - 240 pontos de VC/ha

Esparramadeira de calcário, grade/rolo compactador, manual com rolo ou grade ( à lanço ) - 320/480 ponto de VC/ha

Aéreo - 480 pontos de VC/ha

Profundidade de plantio até 2 cm.

Tempo de formação - 90 a 120 dias

Produção de MV/ha/ano - 50 toneladas - MS/ha- 10 a 12 toneladas - Proteína bruta na MS 10%

Palatabilidade - Boa

Boa capacidade de rebrota, é a mais cultivada para engorda, reúne boas condições  para a fase de terminação dos animais, resiste melhor ao frio que a Decumbens e Ruziziensis.

 

 

 

BRACHIARIA HUMIDÍCOLA - QUICUIO DA AMAZÔNIA - CAPIM AGULHA

 

Nome Científico - Brachiaria Humidícula ( Rendle ) Schweickerot

Origem - África Equatorial

Ciclo Vegetativo - Perene

Forma de crescimento - Estolonífera

Adapta-se a solos de média a fraca fertilidade, altitude até 1800 metros e precipitação acima de 1000 mm/ano

Resistência

seca umidade pisoteio frio sombreamento cigarrinha
alta alta alta média boa média( hospedeira)

 

Consorcia-se bem com Leucena.

Plantio - plantadeira,semeadeira e rolo compactador ( em linha ) 240 /320 ponto de VC/ha

Manual com rolo ou grade, esparramadeira de calcário com rolo compactador/grade ( à lanço ) 320/480 pontos de VC/ha

Aéreo - 480 pontos de VC/ha.

Profundidade de plantio até 2 cm, preparo do solo convencional.

Tempo de formação 150 a 180 dias

Produção de MV/ha/ano 45 toneladas- MS/ha /ano 8 a 10 toneladas,proteína bruta na MS 11 a 12%

Palatabilidade - Boa

É a que melhor controla a erosão, rústica é a que melhor se adapta a solos úmidos e mal drenados, é de estabelecimento muito lento, fornece boa massa no período da seca, fecha muito bem não permitindo invasoras

 

COLONIÃO CANA BRANCA

 

Nome Científico - Panicum maximum Jacq.

Cultivar - Colonião   

Origem - África   

Forma de Crescimento - Touceira

Adapta-se bem a solos bem drenados e férteis, com altitude até 1200 metros com uma precipitação anual acima de 800 mm

Resistência

seca frio sombreamento umidade cigarrinha
boa boa média baixa alta

Indicado ao pastoreio direto, resiste bem ao pisoteio.Consorcia-se bem com Calapogonio,Soja Perene, Leucena e Stylosantes.  

Plantio - Semeadeira e plantadeira es rolo compactador/grade ( em linha )  180/240 de VC/ha.Esparramador de calcário, rolo compactador/grade, manual e/rolo ou grade ( a lanço ) 240/340 de VC/ha

Avião - 340 VC/ha - matraca, enxada 180 de VC/ha.

Profundidade de plantio de 0,5 a 1,0 cm , tempo de formação 90 a 120 dias

Produção de MV/ha/ano - 50 ton. - MS/ha/ano - 8 a 13 ton.

Proteína bruta na MS - 8 a 10%

Palatabilidade - alta

 

COLONIÃO CANA ROXA

 

Nome Científico - Panicum maximum

Cultivar - Guiné

Origem - África

Forma de crescimento - touceira

Adapta-se bem em terrenos com média a alta fertilidade e bem drenado, é menos exigente que o cana branca, altitude de plantio até 1200 metros, precipitação anual acima de 600 mm.

Resistência

seca frio sombreamento umidade cigarrinha
média média média baixa alta

Indicado ao pastoreio direto, resiste bem ao pisoteio.

Consorcia-se bem com Calapogonio, Soja Perene, Leucena, e Stylosantes.

Plantio - Semeadeira e plantadeira e rolo compactador/grade ( em linha ) 180/240 pontos de VC/ha

Esparramador de calcário, rolo compactador/grade,manual c/rolo ou grade( a lanço ) 240 a 340 de VC/ha.

Matraca, enxada - 180 de VC/ha.

Profundidade de plantio de 0,5 a 1,0 cm de profundidade .

Tempo de formação - 90 a 120 dias

Produção de Mv/ha/ano - 40 ton. - MS/ha/ano - 12 ton.

Proteína bruta na MS - 8 a 9%

Palatabilidade - boa

 

MOMBAÇA

 

Nome Científico - Panicum maximum

Cultivar - Mombaça

Origem - Tanzânia - África

Forma de crescimento - Touceira

Adapta-se bem a solos férteis e bem drenados, com altitude até 1200 metros e com precipitação anual acima de 800 mm

Resistência

seca frio sombreamento umidade cigarrinha
boa boa média baixa alta

 

É indicada para pastoreio direto, consorcia-se bem com Calopogonio, Soja Perene, e Stylosantes

Plantio - semeadeira e rolo compactador ( em linha ) 180/240 de VC/ha

Esparramador de calcário ou manual com rolo/grade ( a lanço) 240/340 de VC/ha

Avião - 340 de VC/ha

matraca / enxada - 180 de VC/ha

Profundidade de plantio - 0,5 a 1,0 cm de profundidade.

Tempo de formação de 90 a 120 dias.

Produção de MV/ha/ano - 60 ton. - MS/ha/ano 33 ton.

Proteína bruta na MS - 10 a 13%

Palatabilidade - ótima

Digestibilidade -ótima

 

TOBIATÃ

 

Nome Científico - Panicum maximum

Cultivar - Tobiatã ( força verde)

Origem - Costa do Marfim - África

Forma de crescimento - Touceira

Adapta-se bem a solos férteis e bem drenados, com altitude até 1200 metros e com precipitação anual acima de 1000 mm

Resistência

seca frio umidade sombreamento cigarrinha
boa boa baixa média alta

 

Indicado a pastoreio direto

Consorcia-se bem com Calopogonio e Soja Perene

Plantio - semeadeira e rolo compactador ( em linha ) 180/240 de VC/ha

Esparramador de calcário com rolo compactador/grade, manual com rolo/ grade ( a lanço ) 240/340 de VC/ha

Avião - 340 de VC/ha

Matraca/enxada - 180 de VC/ha

Profundidade de plantio de 0,5 a 1,0 cm .

Tempo de formação - 90 a 120 dias

Produção de MV/ha/ano - 60 ton. - MS/ha/ano - 30 ton.

Proteína bruta na MS - 8 a 10%

Palatabilidade-  boa

Digestibilidade - boa

Dos Panicum é o de manejo mais difícil.

 

COAST CROSS

 

Alto valor protéico, recomendado para alimentar vacas em lactação. Pode ser usada na forma verde picado, feno ou pastejo.

Desenvolve-se bem em solos férteis, profundos, em áreas não sujeitas a encharcamentos contínuo.

O plantio é feito por mudas, principalmente em dias chuvosos, pois a muda desidrata rapidamente.

No plantio recomenda-se o uso de fósforo.

Plantio - Sulcos - É o mais eficiente, risca-se o terreno a uma profundidade de 15 a 20 cm com espaçamento de 50 cm . Distribui-se as mudas no sulco, enterrando uma parte, deve-se socar bem para não deixar bolhas de ar. Consumo de mudas - 2,5 ton./ha.

Plantio em covas - As mudas são distribuídas em covas espaçadas em 40 a 50 cm e levemente cobertas com terra. Gasta-se 3,0 ton./ha

 

TIFTON

 

Cultivar 68 e 85

Origem - Universidade de Georgia - EUA

Todos são híbridos,resultante do cruzamento de linhagens  Africanas do Gênero Cynodon.

Forma de crescimento - Estolonífera - necessita de terrenos férteis

Resistência

seca frio umidade cigarrinha
boa média baixa baixa

Indicado para pastoreio direto e feno.

Plantio - sulcos - 2,5 ton/ha

              Covas - 3,0 ton/ha

Época de plantio - Chuvosa

Espaçamento - 50 cm e sulcos de 15 cm - 1 muda por metro linear.

Tempo de formação  - 120 dias

Produção de MV/ha/ano - 15 ton -

Proteína bruta na MS - 20 %

Palatabilidade - boa

Digestibilidade - alta

 

Principais diferenças entre a 68 e a 85  - No Tifton 85 encontramos Rizomas ( caules Subterraneo ) esta característica permite uma melhor e mais rápida rebrota e maior resistência a seca e a geada.